"The Cultural and Creative Cities Monitor"

Nova ferramenta online disponibiliza 29 indicadores para 168 cidades europeias que visam medir a sua vitalidade cultural, criatividade económica e atractividade do ecossistema urbano para talentos criativos e iniciativas culturais

O Observatório das Cidades Culturais e Criativas é uma nova ferramenta, online e interativa, para monitorizar e avaliar o desempenho das “Cidades Culturais e Criativas” na Europa, comparando cidades com as mesmas características, destinado a:

  • Realçar e divulgar, junto do público e dos decisores, a importância da cultura e da criatividade na melhoria das perspetivas socioeconómicas e da resiliência das comunidades urbanas;
  • Apoiar os decisores políticos na identificação dos seus pontos fortes, comparando a sua cidade e aprendendo com as congéneres, e avaliando o impacto de suas políticas;
  • Incentivar novas pesquisas e abordagens para estudar o papel da cultura e da criatividade nas cidades.

Das cerca de 1.000 cidades com dados no Urban Audit (Eurostat), foram selecionadas 168 cidades pertencentes a 30 países europeus (28 da EU, Suíça e Noruega). Portugal está representado com Porto, Guimarães, Coimbra e Lisboa. As cidades escolhidas cumprem pelo menos um dos três requisitos: Capital Europeia da Cultura (aplicável a 93 cidades, incluindo Lisboa, Porto e Guimarães), Cidade Criativa UNESCO (aplicável a 22 cidades) e Cidades que Acolheram pelo menos 2 Festivais Internacionais da Cultura (aplicável a 53 cidades, incluindo Coimbra com realce para a música – eventos, longa tradição do ensino da música e o fado de Coimbra).

O Observatório usa dados qualitativos (que pretendem evidenciar o valor da cultura e da criatividade) e quantitativos (indicadores). A estrutura dos dados quantitativos compreende 3 níveis de agregação - indicadores considerados relevantes (29 no total) agrupados em 9 dimensões e, estas nos 3 sub-índices ou domínios seguintes:

  • Dinamismo cultural – mede o "pulso" cultural de uma cidade em termos de infra-estrutura cultural e da participação na cultura
  • Economia criativa - identifica como os setores culturais e criativos contribuem para o emprego, a criação de emprego e a capacidade de inovação de uma cidade
  • Ambiente propício - identifica os ativos tangíveis e intangíveis que ajudam as cidades a atrair talentos criativos e a estimular o envolvimento cultural.

O Observatório permite, para uma cidade selecionada, consultar informação diversa de natureza quantitativa e qualitativa sobre o respetivo desempenho e da sua posição no ranking geral ou num dos subrankings pretendidos (dimensão populacional, emprego ou Produto Interno Bruto (PIB)).

O observatório prevê, ainda, a possibilidade (a disponibilizar brevemente) do utilizador adicionar uma cidade, fornecendo os dados (e.g., latitude, longitude, população, emprego, PIB, e valores dos indicadores por cada um dos 3 sub-índices) e, obter a sua posição.

Especificamente, as 4 cidades portuguesas obtiveram os seguintes resultados:

  • Lisboa ocupa a 7ª posição no ranking geral, com destaque em "dinamismo cultural" e "economia criativa" e, a 1ª posição no seu grupo (XL) com maior contributo da dimensão "Locais e Instalações culturais" no sub-índice "dinamismo cultural". Desde Lisboa Capital da Cultura 1994, vários eventos internacionais (e.g., Expo '98, Euro 2004, Lisboa Triennale da arquitetura, Semana da moda de Lisboa,  Festival de Cinema de Lisboa e Estoril) impulsionaram o desenvolvimento de infra-estruturas e atividades culturais locais e o acolhimento de grandes eventos, como Fórum de Hubs Criativos Europeus em 2015 e Lisboa Web Summit 2017.
  • Porto ocupa a 13ª posição no seu grupo (S-M) e a 3ª posição em "Novos Empregos em Setores criativos"O Porto, Capital Europeia da Cultura 2001, é avaliado como uma cidade cosmopolita, recetiva a eventos culturais e artísticos importantes. O Centro de Indústrias Criativas da Universidade do Porto apoia centenas de projetos empresariais, no campo do design, comunicação, arquitetura, audiovisual, música, artes visuais, artes performativas e publicações.
  • Coimbra está na 15ª posição no seu grupo (S-M) em "economia criativa" e na 4ª posição em "Novos Empregos em Setores criativos". A oferta do ensino em música tem uma boa reputação e longa tradição em Portugal. Esta cidade tem uma intensa agenda cultural (vários locais de música ao vivo, clubes populares, Festivais de música e de artes).
  • Guimarães  ocupa a 32ª posição no grupo (S-M) em "economia criativa", com um bom desempenho em "Novos empregos em setores criativos".
    Desde 2005, a cidade está dotada do Centro Cultural Vila Flor, com capacidade para acolher grandes eventos culturais (e.g., capital europeia da cultura 2012). 

Este Observatório, lançado em julho de 2017, resultou de um projeto de investigação desenvolvido pelo Centro Comum de Investigação (CCI) (serviço científico interno da Comissão Europeia). Os seus dados deverão ser atualizados de 2 em 2 anos com base em fontes oficiais como Eurostat e Eurobarómetro e outras como o TripAdvisor.

>>> Saber mais

 

Data da última atualização: 31/08/2017
0

Etiquetas

Abordagens territoriais integradas Agenda Territorial Agenda urbana Alimentação e agricultura Alterações climáticas Ambiente urbano Arte e cultura Avaliação de políticas Ações inovadoras Baixo carbono boas práticas Cidade-região Cidades inteligentes Coesão territorial Comunidades locais Conceitos Concurso Conselho da Europa Contratação pública cooperação nacional Demografia Desenvolvimento sustentável Desenvolvimento territorial desenvolvimento urbano integrado Desenvolvimento urbano sustentável Dinamarca Direitos humanos Diversidade territorial Economia circular Economia e emprego Economia social Educação Espaço público Espaço transfronteiriço ESPON Estratégias nacionais EUKN Evento Fundo de Desenvolvimento Urbano Fundos europeus Governança Habitação Identidade Inclusão social Indicadores Inovação Inovação social Instrumentos Investigação Investigação e conhecimento Itália JESSICA Jovens Legislação nacional Lugar marketing territorial Migrações e refugiados Mobilidade e transportes multiculturalismo Municípios Natureza e biodiversidade Nações Unidas Observação Observação do território OCDE Ocupação do solo Ordenamento do Território Paisagem Parcerias Participação pública Património Pequenas e médias cidades PNPOT Policentrismo POLIS XXI Política de cidades Política de coesão Política nacional Política nacional de cidades Qualidade de vida urbana reabilitação urbana Redes e parcerias urbanas regeneração urbana revitalização urbana Rússia Segurança e espaço público Serviços de interesse geral Sistema de gestão territorial Sistemas de informação Sistema urbano Solo Transição digital Transição energética Tratado internacional Turismo União Europeia URBACT Urbanismo Urbanização Urbano-rural Áreas funcionais Áreas metropolitanas