Qualidade de vida em cidades europeias

Inquérito de perceção promovido pela Comissão Europeia a cada três anos, com o objetivo de obter a opinião dos cidadãos europeus sobre a qualidade de vida da cidade onde vivem

O Eurobarómetro “Qualidade de Vida nas Cidades Europeias 2015”, publicado em janeiro de 2016, foi conduzido pela Comissão Europeia, através de uma iniciativa da Direção-Geral da Política Regional e Urbana, com o objetivo de obter a opinião dos cidadãos europeus sobre a qualidade de vida da cidade onde vivem.

Seguindo-se a barómetros semelhantes realizados com uma periodicidade trienal desde 2006, esta análise realizou-se em 79 cidades e 4 áreas urbanas de todos os países da União Europeia, aos quais se juntaram a Islândia, a Noruega, a Suiça e a Turquia.

Através de uma gama diversificada de questões, cerca de 41.000 pessoas de diversos grupos etários e sociais, aproximadamente 500 por cidade, foram convidadas a expressar a sua opinião sobre os vários aspectos da vida urbana, organizados em 5 grandes grupos:

  1. a satisfação dos cidadãos com a sua cidade;
  2. a visão dos cidadãos sobre a sua cidade;
  3. questões ambientais;
  4. a situação pessoal do entrevistado;
  5. as três mais importantes questões que se colocam na sua cidade, partindo de uma lista de 10.

As entrevistas são realizadas em todas as capitais dos países envolvidos (exceto a Suiça) e em, pelo menos, mais uma cidade de cada país. Em Portugal são consideradas 2 cidades - Lisboa e Braga - e ainda a área urbana de Lisboa.

Os resultados obtidos em 2016 são muito variados e as disparidades entre cidades por vezes consideráveis mas, em geral, pode realçar-se que, excepto em 6 cidades, mais de 80% dos europeus estão satisfeitos de viver na sua cidade.

Pretende-se com este trabalho informar os diversos agentes envolvidos no planeamento e gestão urbana, mas também a sociedade civil, contribuindo assim para um melhor desenvolvimento das nossas cidades.

Data da última atualização: 07/11/2017
0

Etiquetas

Abordagens territoriais integradas Agenda Territorial Agenda urbana Alimentação e agricultura Alterações climáticas Ambiente urbano Avaliação de políticas Baixo carbono boas práticas Cidade-região Cidades inteligentes cidades prósperas cidades sustentáveis Coesão territorial Comparação Comunidades locais Conceitos Concurso Conselho da Europa consulta pública Contratação pública Demografia Desenvolvimento sustentável Desenvolvimento territorial desenvolvimento urbano integrado Desenvolvimento urbano sustentável Dinamarca Direitos humanos Diversidade territorial Economia circular Economia e emprego Economia social Educação Espaço público Espaço transfronteiriço ESPON Estratégias nacionais Evento Financiamento Fiscalidade Formação Fundos europeus Governança Habitação Imobiliário Inclusão social Indicadores Inovação Inovação social Instrumentos Investigação e conhecimento Itália Jovens marketing territorial Migrações e refugiados Mobilidade e transportes Municípios Natureza e biodiversidade Nações Unidas Observação OCDE Ordenamento do Território Paisagem Participação pública Património e cultura Pequenas e médias cidades PNPOT Policentrismo POLIS XXI Política de coesão Política nacional Política nacional de cidades Qualidade de vida urbana Redes e parcerias urbanas regeneração urbana Rússia Serviços de interesse geral Sistemas de informação Sistema urbano Solo Transição digital Transição energética Turismo União Europeia URBACT Urbanismo Urbano-rural Áreas funcionais Áreas metropolitanas