URBACT - financiamento de redes europeias de cidades

O URBACT financia vários tipos de redes transnacionais de troca de conhecimento e aprendizagem, possibilitando às cidades um trabalho em conjunto e o desenvolvimento de soluções integradas de resposta a desafios urbanos comuns.

O URBACT III é um Programa Europeu de Cooperação Territorial que tem como objetivo o fomento do desenvolvimento urbano sustentável integrado nas cidades europeias, orientado para ações imateriais. É um instrumento da Política de Coesão, cofinanciado pelo FEDER e pelos Estados Membros e Estados Parceiros. O URBACT financia redes transnacionais de troca de conhecimento e aprendizagem, possibilitando às cidades um trabalho em conjunto e o desenvolvimento de soluções integradas de resposta a desafios urbanos comuns. Aqui se incluem para o período 2014-2010: 

  • As Redes de Planeamento de Ação

têm como objetivo melhorar a capacidade das cidades na definição dos seus planos/estratégias de desenvolvimento urbano sustentável integrado. As parcerias constituídas no âmbito destas redes incluem um mínimo de 8 e um máximo de 12 parceiros, estando incluída uma cidade designada líder da parceria. Estas redes, promovidas em todos os programas URBACT, privilegiam a troca e partilha de experiências, problemas e possíveis soluções entre cidades, gerando novas ideias que lhes permitem enfrentar desafios relacionados com o desenvolvimento urbano sustentável. 

  • As Redes de Implementação

têm como objetivo melhorar a capacidade das cidades na implementação dos seus planos/estratégias de desenvolvimento urbano sustentável integrado. As parcerias constituídas no âmbito destas redes incluem um mínimo de 7 e um máximo de 9 parceiros, estando incluída uma cidade designada líder da parceria. São uma novidade do URBACT III. A participação nestas redes compromete as cidades a elaborar um quadro operacional que contenha soluções concretas e ferramentas que lhes permitem enfrentar desafios identificados no processo de implementação dos planos/estratégias.

  • As Redes de Transferência

têm como objetivo melhorar a capacidade das cidades na implementação dos seus planos/estratégias, através da adaptação, transferência e reutilização, a nível local, de boas práticas identificadas no domínio do desenvolvimento urbano sustentável integrado. As parcerias constituídas no âmbito destas redes incluem um mínimo de 6 e um máximo de 8 parceiros, estando incluída uma cidade designada líder da parceria. São uma novidade do URBACT III. Como resultado da adaptação, transferência e reutilização de boas práticas implementadas com sucesso, é expectável que as cidades participantes nestas redes melhorem as suas políticas urbanas integradas, bem como a sua implementação no terreno.

As redes são selecionadas na sequência de abertura de concursos, seguida de avaliação das propostas apresentadas por um painel de peritos externos. No sentido de potenciar a qualidade das redes aprovadas para financiamento, o URBACT estabelece um processo de constituição das mesmas em duas fases: a primeira, de 6 meses, corresponde à consolidação da proposta de projeto; a segunda, de 24 meses, corresponde ao desenvolvimento do projeto. O processo de constituição das Redes de Transferência é mais complexo, pois é antecedido por um concurso de seleção de cidades que comprovem um potencial de transferência de boas práticas. A estas cidades é conferido o selo de “Cidade Boas Práticas URBACT”, posicionando-as como futuras líderes desta tipologia de redes.

Data da última atualização: 18/08/2017
0

Etiquetas

Abordagens territoriais integradas Agenda Territorial Agenda urbana Alimentação e agricultura Alterações climáticas Ambiente urbano Arte e cultura Avaliação de políticas Ações inovadoras Baixo carbono boas práticas Cidade-região Cidades inteligentes cidades prósperas cidades sustentáveis Coesão territorial Comparação Comunidades locais Conceitos Concurso concursos Conselho da Europa consulta pública Contratação pública Convenção cooperação activa cooperação nacional Demografia Desenvolvimento sustentável Desenvolvimento territorial desenvolvimento urbano integrado Desenvolvimento urbano sustentável Dia Mundial Dinamarca Direitos humanos disseminação Diversidade territorial Economia circular Economia e emprego Economia social Educação Espaço público Espaço transfronteiriço ESPON Estratégias nacionais EUKN Evento Financiamento Fiscalidade Formação Fundo de Desenvolvimento Urbano Fundos europeus Governança Habitação Identidade Imobiliário Inclusão social Indicadores Inovação Inovação social Instrumentos Investigação e conhecimento Itália JESSICA Jovens Lugar marketing territorial Migrações e refugiados Mobilidade e transportes multiculturalismo Municípios Natureza e biodiversidade Nações Unidas Observação OCDE Ocupação do solo Ordenamento do Território Paisagem Parcerias Participação pública Património Pequenas e médias cidades PNPOT Policentrismo POLIS XXI Política de coesão Política nacional Política nacional de cidades prémio Qualidade de vida urbana reabilitação urbana Redes e parcerias urbanas Redes urbanas regeneração urbana revitalização urbana RFSC Rússia Segurança e espaço público Seminário Serviços de interesse geral Sistema de gestão territorial Sistemas de informação Sistema urbano Solo Transição digital Transição energética Tratado internacional Turismo UN-Habitat União Europeia URBACT Urbanismo Urbanização Urbano-rural Áreas funcionais Áreas metropolitanas