Pacto de Amesterdão, Agenda Urbana para a União Europeia

No dia 30 de maio de 2016, os ministros responsáveis pelo desenvolvimento urbano de cada Estado membro reúnem-se em Amesterdão para debater e adotar a Agenda Urbana da União Europeia

Em 30 de maio de 2016, os Ministros dos Estados Membros da União Europeia responsáveis pelo Desenvolvimento Urbano reunem-se em Amesterdão para adotar a Agenda Urbana para a União Europeia, designada "Pacto de Amesterdão".

O Pacto de Amesterdão resulta de intenso trabalho de mobilização, que tem sido desenvolvido desde a Declaração de Riga (2015), tendo em vista a realização do potencial e do contributo das áreas urbanas em matéria de crescimento económico e inclusão social, bem como de desafios emergentes, tais como a crise de refugiados. 

A Agenda Urbana para a União Europeia, que constitui a base do Pacto de Amesterdão, tem como objectivo promover o maior envolvimento das cidades europeias e reconhecimento da dimensão urbana no processo legislativo comunitário, no acesso ao financiamento europeu e na partilha de conhecimento.

Conheça a versão oficial em inglês e a versão em português do Pacto de Amesterdão:

 

Versão oficial em inglês

 

Versão em português

 

A Agenda Urbana é uma ação conjunta da Comissão Europeia, dos Estados Membros e das Redes Europeias de Cidades, que salienta o potencial e relevância das áreas urbanas enquanto vetores de crescimento económico e de inclusão social, bem como de inovação e criatividade perante desafios emergentes. Traduz-se na definição de três pilares para a conceção e aplicação das políticas comunitárias:

  1. Melhor regulação: considerando os impactos locais e a dimensão urbana da legislação comunitária, antecipando as dificuldades de implementação;  
  2. Melhor financiamento: melhorando a acessibilidade, a coordenação e a simplificação dos fundos comunitários disponíveis para as autoridades urbanas;
  3. Melhor conhecimento: reforçando a base de conhecimentos de política urbana e a cooperação e partilha de boas práticas cidades. 

A Agenda Urbana da União Europeia não inclui nova legislação, novas instituições, transferências de competências, nem novos fundos ou programas operacionais para além dos existentes. Enquanto instrumento comunitário de coordenação aberta, a Agenda Urbana depende da mobilização e do envolvimento voluntário das autoridades urbanas e dos Estados Membros para a materialização da visão estratégica e operacionalização dos seus três pilares.

A Agenda Urbana para a UE identifica  12 temas prioritários sobre os quais se mobilizarão parcerias voluntárias entre Estados e Cidades tendo em vista a melhoria das políticas comunitárias e das condições das cidades na sua prossecução: 

  1. Habitação
  2. Emprego e competências
  3. Pobreza urbana
  4. Integração de migrantes e refugiados 
  5. Economia circular
  6. Adaptação climática
  7. Transição energética
  8. Mobilidade urbana
  9. Transição digital
  10. Uso sustentável do solo e soluções baseadas na natureza
  11. Qualidade do ar 
  12. Contratação pública inovadora e responsável

Os temas prioritários constituem ainda os tópicos para as Ações Urbana Inovadoras | Urban Innovative Actions, instrumento da Comissão Europeia orientado para as autoridades urbanas europeias, com uma dotação orçamental de 372 milhões de euros para o período 2014-2020.
 

Data da última atualização: 23/07/2017
0

Etiquetas

Abordagens territoriais integradas Agenda Territorial Agenda urbana Alimentação e agricultura Alterações climáticas Ambiente urbano Arte e cultura Avaliação de políticas Ações inovadoras Baixo carbono boas práticas Cidade-região Cidades inteligentes Coesão territorial Comunidades locais Conceitos Concurso Conselho da Europa Contratação pública cooperação nacional Demografia Desenvolvimento sustentável Desenvolvimento territorial desenvolvimento urbano integrado Desenvolvimento urbano sustentável Dinamarca Direitos humanos Diversidade territorial Economia circular Economia e emprego Economia social Educação Espaço público Espaço transfronteiriço ESPON Estratégias nacionais EUKN Evento Fundo de Desenvolvimento Urbano Fundos europeus Governança Habitação Identidade Inclusão social Indicadores Inovação Inovação social Instrumentos Investigação Investigação e conhecimento Itália JESSICA Jovens Legislação nacional Lugar marketing territorial Migrações e refugiados Mobilidade e transportes multiculturalismo Municípios Natureza e biodiversidade Nações Unidas Observação Observação do território OCDE Ocupação do solo Ordenamento do Território Paisagem Parcerias Participação pública Património Pequenas e médias cidades PNPOT Policentrismo POLIS XXI Política de cidades Política de coesão Política nacional Política nacional de cidades Qualidade de vida urbana reabilitação urbana Redes e parcerias urbanas regeneração urbana revitalização urbana Rússia Segurança e espaço público Serviços de interesse geral Sistema de gestão territorial Sistemas de informação Sistema urbano Solo Transição digital Transição energética Tratado internacional Turismo União Europeia URBACT Urbanismo Urbanização Urbano-rural Áreas funcionais Áreas metropolitanas